Como curar de vez a hipermetropia?

hipermetropia

A hipermetropia ocorre quando não chega à retina luz em quantidade suficiente que permita focar objetos ao perto. O ponto de focagem passa a ser por trás da retina. A lente ocular tenta alterar a situação mudando de forma, numa tentativa de fazer chegar a luz à retina, como seria natural.

Quem tem um grau pouco elevado de hipermetropia consegue, por norma, ver bem ao longe, uma vez que não exige o mesmo grau de focagem. A visão ao perto pode também ser límpida. No entanto, os olhos podem começar a ficar bastante cansados. O que pode provocar dores de cabeça e um desconforto visual acentuado.

Por sua vez, quem tem um grau elevado deste problema ocular, não consegue, de todo, focar objetos a curta distância. Embora consiga fazê-lo em relação a objetos ao longe.

O que provoca a hipermetropia?

As causas mais frequentes são hereditárias, sendo que a hipermetropia pode ocorrer a qualquer idade, embora seja mais frequente a partir dos 40 anos. Em casos mais raros, pode ser provocada por diabetes, “síndrome dos olhos pequenos”, cancro ou problemas sanguíneos na zona da retina.

O principal sintoma da hipermetropia é a dificuldade em ver ao perto, sendo que é normal afetar ambos os olhos. A hipermetropia pode, por vezes, provocar ambliopia ou estrabismo, nos casos mais graves. Além disso, o olho com pior visão nunca aprende a ver convenientemente, uma vez que o cérebro ignora os seus sinais e concentra-se apenas no olho melhor.

Como tratar a hipermetropia?

Há duas formas principais de tratar a hipermetropia, ambas eficientes. Cabe ao optometrista ou oftalmologista determinar qual a mais adequada para cada caso em concreto.

  • Óculos – esta é a forma mais simples, barata e segura de corrigir a hipermetropia. As lentes convexas são utilizadas para dobrar os raios de luz, aumentando o poder de focagem do olho. Como resultado, os raios de luz conseguem focar-se na retina. Existem óculos para todos os gostos e carteiras e os mais novos podem até achar “cool”.
  • Lentes de contacto – fazem o mesmo do que os óculos, mas assentam na superfície do olho. Existem diversos tipos de lentes de contacto, sendo que deve aconselhar-se com o seu optometrista antes de escolher as suas. Normalmente, são um pouco mais caras do que os óculos e requerem maiores cuidados de higiene, sendo, por isso, mais apropriadas para adultos ou adolescentes do que para crianças de tenra idade.

Para saber mais sobre hipermetropia, consulte-nos.

Tags: , , , , ,


Quem leu este artigo também leu

Astigmatismo nas crianças: porque aparece e como se revela?

Saber Mais
Tendências de armações de óculos para amantes do vintage

Saber Mais
O fascínio de uma armação de óculos femininos

Saber Mais